Chiara conta como consegue evitar o Made in China

Escrito em Tags: , , , , , , .

   

Oi Queridos Seres Sustentáveis com Estilo,

Recentemente recebi um email de uma de nossas internautas, a Carla:

Carla pergunta sobre como consigo não consumir produtos fabricados na China.

O email da Carla não é o primeiro que levanta essa questão sobre como nós, consumidores conscientes, podemos evitar peças e produtos made in china. E como a Carla disse , eu realmente digo em entrevistas que evito e posso afirmar que hoje digo quase sempre NÃO ao Made in China.

E na verdade é mais fácil do que parece.

Mas primeiro precisamos saber o porque dessa discussão. A China, como todos sabemos aplica  péssimas condições de trabalho sem contar o trabalho escravo infantil. Com isso os preços são MUITO menores do que os nossos, por exemplo e assim, a competição é desleal pois o que vale nessa equação é o dinheiro e não a condição humana.

E mesmo sabendo de tudo isso, a maioria dos brasileiros continua consumindo esse tipo de produto não é mesmo?

E por que?

Primeiro de tudo porque é bem mais barato sem falar na quantidade e na variedade dos produtos. Esse motivo já é bem forte, infelizmente!

Mas o barato sai caro e os produtos são sem qualidade e em se tratando de  moda, as peças têm uma vida útil muito pequena.

Esse livro é bem bacana e conta como essa escritora e sua família ficaram um ano sem consumir produtos feitos na China.

Então vamos a resposta da Carla e de muitas outras leitoras.

Dicas da Chiara para dizer NÃO ao Made in China:

- No meu caso, antes mesmo de dizer não a qualquer marca ou procedência de uma roupa, eu olho e leio atentamente  a etiqueta da mesma e pequiso sobre ela. Parece óbvio, mas esse não é um hábito muito comum entre as consumidoras. Nas lojas muitas vezes os vendedores ficam olhando até meio desconfiados, mas eu de fato perco um tempinho olhando as etiquetas das roupas, afinal ela deveriam conter toda a história daquela peça.

Etiquetas devem conter todo o tipo de informação.

- Quando eu vejo um produto, não só de moda, mas um objeto super colorido, cheia de estampas e super barato, claro que me sinto atraida.  Os olhos ficam piscando mas é aí mesmo que eu me pergunto: aonde foi feito? por quem? e será que eu preciso mesmo dele? Essas perguntas são fundamentais. E quando me deparo com algo que eu mesma posso fazer com as mãos,  customizar ou adaptar , me esforço para fazê-lo. Afinal acabamos acumulando tantos objetos que não precisamos não é?

- Como adoro garimpar em brechós, prefiro comprar uma peça usada e cheia de estilo do que uma que foi feita sob condições duvidosas. Falando em brechós, clique aqui e assista o querido Junior do Brechó Juisi.

- Sempre procuro priorizar os Made In Brasil ou seja, produtos não só feitos no nosso país, por trabalhadores brasileiros, mas peças que tenham um DNA nacional. Por exemplo, não consigo conceber o fato de comprar uma bolsa de palha em uma loja no Brasil que não tenha sido feita aqui NO Brasil. Infelizmente ainda encontro bolsas de palha em lojas de departamento brasileiras feitas na China, Vietnam e etc.

No projeto Traces, a Osklen e o Ministério do Meio Ambiente Italiano rastrearam o impacto de 6 produtos . Todas as informações de como, aonde e por quem foram confecçionados estão em novas etiquetas.

Independente disso, se você está começando  a se questionar e analisar sua maneira de consumir, já é um grande passo e essas dicas são para você!

Aproveite e espalhe!

bjs Chiara