Quero viver de Renda!

Escrito em Tags: , , , .

   
Post da nossa querida Andrea, nossa conexão #SSE Recife!
Quero viver de renda!
Luciano Zafir usa camisa com detalhe em renda no desfile da Fátima Rendas
A história da renda renascença é obscura, atribui-se sua a origem às cercanias de Veneza, por volta do século XVI. A técnica foi trazida ao interior do agreste de pernambuco por freiras italianas que a ensinavam nos conventos. Não é um bordado simples: um vestido de renascença pode tomar 2 meses de trabalho de uma artesã experiente. Também não há como industrializar o processo, enquanto outras qualidades de renda podem ser produzidas em massa, a renascença requer exclusivamente linha, agulha, habilidade manual e muita – muita – paciência!

Dada a dificuldade da técnica e o ritmo lento de produção, a renascença  esteve ameaçada de extinção. Tida como algo inviável do ponto de vista econômico, este bordado foi relegado à categoria de mero passatempo para senhoras de idade.

Tudo mudou na década de 80, quando órgãos de fomento enxergaram beleza da  produção local, e, em consequência, a viabilidade econômica na produção. O segundo passo desse resgate ocorreu quando as bordadeiras começaram a se organizar em cooperativas. A renda trazida pela renda sacudiu também a estrutura social da região de Pesqueira e Poção -  hoje é comum ver famílias inteiras sentadas à porta de casa, bordando. Sim, homens inclusive. As mulheres ganharam poder econômico – e, em decorrência, força e voz na região. Em Poção, a renascença responde por 80% da geração de renda do município.

Falar da transformação social trazida pela renda não seria tão interessante  se o produto local não fosse – me segura – LINDOLINDOLINDO.

Tem coisa mais linda e delicada que renda feita à mão? E tem coisa mais antiga que achar que renda só serve para fazer paninho de mesa?

A renda é bastante versátil e tem recebido todo tipo de uso. A loja Fátima Rendas promoveu um desfile com dezenas de looks propondo usos que escapam ao tradicional cama, mesa &banho.
Tem proposta de renda para bofe, aplicação de renda em moda praia, noivas rendadas.
desfile Fátima Rendas

Da renda original, em monocromia branca, a técnica evoluiu para o uso de cores e grafismos cada vez mais sofisticados.

Rendi-me às rendas e comprei várias peças de renascença no mercado. Uma pala ou gola custa, em média, R$20,00 – ao comprarmos diretamente do produtor, ele ganha o dobro do que receberia se vendesse a mesma peça para as cooperativas de região.
pala em renda
pala bicolor
Além de remunerar melhor o artesão, estimulamos as artes manuais tradicionais da região que constituem um patrimônio nosso.

Os artesãos começam a expor seus trabalhos na internet e já é fácil adquirir rendas diretamente, tudo por uma fração do preço que você pagaria se adquirisse numa loja.

O que eu vou fazer com minhas peças? Oras, quero viver de renda! Vou entrar numa vibe DYI e colocar renda em decote de blusas, nas costas de vestidos, como detalhe em regata, fivela no cabelo e a lista não acaba mais nunca.

E você, não quer viver de renda, também?